Quando se trata de o que o gato persa pode comer,  todos os cuidados e atenção são necessários. Como os gatos persas são conhecidos pelo seu excesso de peso, deve pensar que tudo o que ele come reflete-se na  sua saúde, no seu desenvolvimento e na sua esperança de vida.

Um persa bem cuidado e vigiado tem uma grande esperança média de vida: aproximadamente 15 anos. De forma a que o seu gato dure o máximo de tempo possível, deverá falar com o seu veterinário para procurar a melhor ração dentro das suas possibilidades e das necessidades do seu gatinho, pensando no que essas alimentações podem causar. Uma alimentação equilibrada e com os nutrientes necessários irá ajudar a manter o seu gato saudável e com um pêlo deslumbrante.

O essencial quando escolher comida para o seu gato persa é saber que deverá comprar comida exclusiva para gato, alimentá-lo com comida de humano pode ter sérias consequências na saúde e no bem estar do seu gato. Nunca é demais relembrar também que se cai na tentação de lhe dar da sua comida cria um hábito, especialmente difícil de corrigir, quando o gato se torna adulto, podendo causar problemas de saúde relacionado aos tipos de alimentos. Neste tema que estamos a desenvolver: o que os gatos podem comer e o que os gatos não podem comer, a qualidade do alimento é extremamente importante e com isto falamos da qualidade das matérias-primas e do tratamento que recebem enquanto se elabora o alimento de forma a que o mesmo tenha nutrientes essenciais a sua vida e bem-estar. Deverá também escolher comida que seja de fácil digestão para prevenir possíveis problemas digestivos no seu gato e que alimento que seja saboroso.

Ao escolher a comida e principalmente a porção da mesma deverá perceber quais sãos as verdadeiras necessidades nutricionais do seu gato, mais nomeadamente o peso e a idade e a atividade do gatinho (se ele é mais ou menos ativo).

Visto que é recomendada a castração em todos os gatos*, é preciso perceber que esse processo produz mudanças no metabolismo do seu gato, e apesar dele continuar a precisar de nutrientes é importante escolher  uma ração adequada a gatos castrados. O seu gatinho deve comer a quantidade diária adequada a essas necessidades anteriormente referidas (nada de grandes quantidades), caso contrário corre o risco de aumentar de peso ou deixar de ser saudável. Como os gatos preferem ter a comida deles à livre disposição, já que têm o hábito de comer pequenas quantidades  e várias vezes ao longo do dia, convém que forneça ao seu gatinho comida à sua vontade,não significando isto que deva acrescentar comida cada vez que esvazia o seu comedouro, mas sim que deve colocar-lhe a dose recomendada dividida por exemplo por várias vezes.

Se a comida for bem escolhida para o seu gato, lembre-se que só deve colocar suplementos na alimentação caso seja uma recomendação feita pelo veterinário, porque o gatinho mostra uma deficiência concreta e bem diagnosticada, caso contrário a ração comum é mais que suficiente.

É um mito dizer que o gato não gosta de água até porque a água é um dos principais nutrientes na alimentação correcta. Como os gatos bebês podem desidratar-se com mais facilidade do que os gatos adultos, devem ter sempre água limpa e fresca à sua disposição dividida pela casa. Com o seu felino persa estes cuidados anteriores deverão ser alvo de mais atenção, pois após a operação de esterilização tendem a sofrer de excesso de peso, o que é muito grave nestes gatos, pelo que o controle do peso é um dos principais cuidados a ter com gatos persas.

Devido a facilidade que os gatos persas têm em engordar, deverá perceber que, quando o seu gato aumenta de peso deverá consultar um veterinário e consoante a indicação dada, alterar o tipo e a quantidade de ração. É muito importante lembrar que os gatos adoram rotinas,daí serem pontuais como um relógio sempre que têm fome. De forma a evitar uma alimentação fora de horas,e por sua vez alterações no metabolismo e no seu peso tente servir as refeições sempre no mesmo bloco do calendário.De forma a ser mais fácil de se lembrar e manter uma rotina e também para a felicidade do seu gatinho!

IMPORTANTE: Graças à pesquisa veterinária e científica é possível ultrapassar o tradicional conceito de nutrição (construção e manutenção do organismo através do fornecimento de energia), para incluir uma nova dimensão preventiva. É o nascimento da nutrição/saúde.

Assim, neste conceito fazem parte três objectivos:

  1. Construção e manutenção: função das proteínas, dos minerais, dos oligoelementos e das vitaminas
  2. Fornecimento de energia: função dos lípidos e glúcidos
  3. Prevenção: com base nos novos conhecimentos adquiridos, hoje sabemos que certos nutrientes desempenham um papel na prevenção de afecções renais, de distúrbios digestivos e ósseos, assim como no combate contra os mecanismos do envelhecimento.

Responsável pela domesticação do gato, o homem tem o dever de o alimentar de acordo com as verdadeiras necessidades do pequeno felino, e não em função das suas projeções humanas. Esta é a primeira regra do verdadeiro respeito pelo animal.

*A esterilização é um acto de civismo, na medida em que permite lutar contra a superpopulação felina. A descendência de uma gata pode resultar em 220 indivíduos em apenas 24 meses. Para além disso, os gatos esterilizados, e como tal desprovidos de comportamento sexual, evidenciam uma tendência menor para deambular no exterior. Esse facto aumenta a sua esperança de vida, uma vez que passam a estar menos expostos às doenças contagiosas transmitidas por outros gatos, como também ficam menos expostos à circulação rodoviária.  

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Fill out this field
Fill out this field
Por favor insira um endereço de email válido.
You need to agree with the terms to proceed

Menu